O mercado de EAD não para de crescer no Brasil

Há dez anos, pouca gente tinha contato com cursos à distância. Em qualquer área que fosse, o comum era frequentar aulas presenciais nas instituições de ensino, seguindo uma rígida rotina de ensino e entregas. Hoje, porém, o acesso à internet está cada vez mais democrático, o que possibilita que as pessoas estejam mais integradas ao ambiente digital.

Dessa forma, oferecer aulas à distância por meio de plataformas online se tornou algo totalmente possível para educadores que desejam expandir sua área de atuação. Além de ser uma ótima oportunidade de negócio para instituições de ensino de todo o país.

Neste sentido, o EAD é um modelo educacional atrativo tanto para professores e gestores de escolas quanto para alunos – e não só da educação superior como do ensino técnico também.

Não à toa, essa forma de aprendizado tem crescido cada vez mais no Brasil. Principalmente para quem possui restrições com locomoção e disponibilidade, o EAD acaba sendo uma ótima opção de formação e capacitação para quem deseja se mostrar mais competitivo no mercado de trabalho. Assim, a tendência é que esse modelo se expanda ainda mais nos próximos anos.

Panorama atual do EAD no Brasil

Segundo o último Censo da Educação Superior, publicado em 2016 pelo Inep, já há quase 1,5 milhão de alunos fazendo faculdade à distância. Esse número é bastante expressivo, principalmente quando levamos em conta que representa quase um quinto do total de alunos matriculados no ensino superior no Brasil.

Também em 2016, o EAD registrou crescimento de 7,2% em relação ao período anterior.

Tais dados nos mostram que a tendência daqui para frente é que, de fato, o ensino à distância seja cada vez mais considerado por diversas pessoas que almejam complementar sua formação – ou realizar o sonho de ter uma graduação de ensino superior ou técnico no currículo

A aprovação deste modelo está crescendo, eliminando antigos “preconceitos” de que o EAD seria uma formação de qualidade inferior aos cursos presenciais.

A maneira tradicional de ensino, inclusive, registrou queda de entrantes, segundo dados apresentados por essa mesma pesquisa do Inep. Nela, constatou-se que, dos alunos matriculados no ensino superior em 2016, o modelo presencial registrou queda de 1,2% em relação a 2015.

Quais as possíveis razoes para este crescimento?

Investir na própria formação é algo que muitas pessoas desejam para suas carreiras. Entretanto, o custo para ter uma graduação superior ou técnica no currículo costuma ser bastante elevado, principalmente no modelo tradicional.

Com o EAD, porém, o acesso à educação acaba sendo uma opção muito mais viável, principalmente para quem não dispõe de recursos suficientes para investir em um curso presencial. O comum é que o ensino à distância seja bem mais barato, o que não significa que sua qualidade seja inferior.

A razão para isso está no fato de que aulas realizadas presencialmente, em sala, demandam uma estrutura bem maior para atender às necessidades dos alunos e também dos professores.

Essa estrutura acaba entrando na mensalidade que o estudante paga à instituição. Por isso, transferir o aprendizado para uma plataforma online acaba contribuindo para essa redução dos custos, que também beneficia as próprias escolas e se traduz no valor despendido pelos alunos todos os meses.

Além do aspecto financeiro, tempo e locomoção também são fatores relevantes para quem pensa em apostar em um curso à distância. Principalmente para quem trabalha e possui tempo reduzido para se dedicar aos estudos, ter a opção de tomar as aulas e estudar em casa acaba sendo uma opção bastante atrativa.

Quais as vantagens do ensino à distância?

Como dito acima, a redução no tempo de locomoção e a economia com investimentos em educação são duas das maiores vantagens que a educação à distância proporciona aos estudantes.

Estudar em casa pagando menos do que o faria por um curso presencial é um argumento por si só bastante eficiente e que faz muitos optarem pelo EAD hoje. Pelo mesmo motivo, as instituições de ensino que ainda não oferecem o modelo acabam considerando a ideia de implementar cursos à distância em sua grade justamente para atender à essa crescente demanda.

Para os estudantes, outra vantagem é a flexibilidade com relação ao estudo do conteúdo das aulas. À distância, é possível adequar as aulas à disponibilidade do aluno. Assim, por mais que educadores estejam à disposição para ajudar com quaisquer dúvidas, é responsabilidade do aluno se certificar de que absorveu os conhecimentos

Aderir ao EAD no ensino técnico pode ser uma boa ideia

Por mais que os dados apresentados até aqui sejam relacionados ao ensino superior, podemos adequá-lo com segurança à educação em geral, inclusive no ensino técnico.

Com cada vez mais competição no mercado, a necessidade de se especializar ou adquirir uma formação também cresce. E, com o passar dos anos, o ensino técnico se tornou uma excelente alternativa para as pessoas poderem se profissionalizar e garantir uma vaga no mercado de trabalho.

Por isso, o EAD na educação profissionalizante é um investimento que pode ajudar a aumentar ainda mais a busca por cursos técnicos — que já é muito alta — com potencial grande de retorno também.