O melhor momento para investir em Educação Técnica é agora

Com o fim das aulas se aproximando, chega o momento de pensar no planejamento das atividades para o próximo ano letivo. Quais e como serão feitos os novos investimentos é uma dúvida que pode estar na cabeça de muitos gestores.

Mas será que mesmo em um momento de incertezas na educação básica, por conta da Reforma do Ensino Médio, e crise financeira no Brasil, temos o cenário ideal para fazer investimentos e arriscar em um novo mercado?

Se você pretende apostar suas fichas em educação técnica, sim. Essa é a hora certa e vamos explicar os motivos que fazem esse risco valer a pena para você e sua instituição de ensino. Mesmo que você ainda não seja um empresário no ramo da educação, pode começar a planejar o credenciamento da sua escola.


Leia nosso post sobre Como abrir uma escola técnica e comece agora o processo de credenciamento da sua escola.


Por que devo investir em educação técnica?

A Reforma do Ensino Médio prevê que as escolas de educação básica ofertem aos alunos, no mínimo, dois dos cinco itinerários formativos que compõem o novo ensino médio.

Se você não sabe ou não lembra quais são os cinco itinerários formativos, aí vão eles:

  • linguagens e suas tecnologias;
  • matemática e suas tecnologias;
  • ciências da natureza e suas tecnologias;
  • ciências humanas e sociais aplicadas;
  • formação técnica e profissional.

Como podemos observar, o quinto e último itinerário formativo remete o aluno para a formação técnica e profissional. Sua escola estando preparada para um dos itinerários formativos, você precisará escolher apenas mais um para cumprir o mínimo obrigatório de opções a serem dadas aos estudantes.

Se existem cinco itinerários formativos, porque eu devo escolher a formação técnica e profissional?

Fazer esse questionamento é muito pertinente e importante para os gestores escolares. Se você vai investir tempo e dinheiro, precisa saber o motivo e quais objetivos podem ser atingidos com essa iniciativa.

Primeiro, precisamos deixar claro que a educação técnica e profissional não atende apenas ao aluno do ensino médio que está se formando. Muitas pessoas que já estão no mercado de trabalho ou que pretendem voltar a trabalhar procuram a formação técnica por ser mais rápida e acessível.

Aqui já podemos perceber que, além de atender as regras do Novo Ensino Médio e possibilitar formação profissional aos estudantes, é possível ampliar o leque de opções para a captação de alunos. Se você atende apenas jovens do ensino médio, passa a atingir um outro tipo de público.

Esse público é muito interessante para a escola porque aumenta o número de matrículas, torna a escola mais conhecida e permite o contato da instituição de ensino com empresas que precisam de profissionais qualificados.

Criar essa ponte de contato entre empresa e aluno é muito vantajoso para a escola e se torna um diferencial para o estudante. Ele consegue enxergar mais valor na escola porque sabe que pode ser indicado para uma vaga de emprego devido o contato mais próximo com as empresas locais.


Se você não tem ideia de como funciona um curso técnico ou quer mais informações sobre o processo de credenciamento, leia nosso post Saiba agora o que nunca te contaram sobre abertura e implantação de cursos técnicos.


Mantenha contato e faça parcerias com empresas

Nesse momento, chegamos a um segundo ponto muito importante. O contato com empresas e o conhecimento do mercado local e de cidades mais próximas garante uma maior assertividade na escolha do curso técnico que será ofertado na instituição de ensino.

Isso é muito importante para dimensionar a aderência do curso. Imagine que a escolha da formação técnica tem uma relação direta com o mercado de trabalho. Com o objetivo de conquistar o primeiro ou um novo emprego.

Se no processo de pesquisa por um curso o futuro aluno percebe que terá mais chances de empregabilidade com uma determinada formação, esse será um fator decisivo para sua escolha. A escola que estiver mais alinhada com o mercado local e oferecer diferenciais terá mais chances de efetivar essa matrícula.

Quais diferenciais posso oferecer na minha escola técnica?

O diferencial de uma escola técnica é o terceiro ponto que abordaremos nesse post. Para se destacar no mercado, as empresas, e as escolas não ficam fora disso, devem oferecer diferenciais para seus clientes, no caso, os alunos.

Mas é importante conhecer muito bem o seu público para saber qual diferencial faria mais sentido e seria decisivo em um momento de escolha. Listaremos alguns diferenciais interessantes para escolas técnicas:

  • Contato e parceria com empresas;
  • Cursos presenciais e online;
  • Material de qualidade.

Contato e parceria com empresas: Para pessoas que optam pela formação técnica, a perspectiva de conquistar um emprego faz muita diferença. Destaque as áreas de atuação em que o estudante poderia trabalhar fazendo um determinado curso e mostre qual trajetória profissional poderia ser traçada por ele.

Cursos presenciais e online: Oferecer ao estudante a possibilidade de estudar a distância é muito importante para quem dispõe de pouco tempo. O aluno pode estar no mercado de trabalho e procurar um curso técnico apenas para aperfeiçoar seus conhecimentos.

Ter a opção de fazer esse curso 100% EAD ou optar por um modelo semipresencial pode atrair novos alunos e aumentar o alcance de captação da instituição de ensino.

A escola também pode se beneficiar da modalidade EAD porque seu custo com infraestrutura é reduzido e não existe a limitação física de espaço da sala de aula, permitindo um maior número de alunos por turma.

Material de qualidade: um dos itens mais citados como parâmetro de qualidade de uma escola é o material didático utilizado em seus cursos. Da mesma forma que o gestor escolar se preocupa com o conteúdo da educação regular, precisa ter o mesmo cuidado com o ensino técnico.

É muito importante que o aluno veja valor no conteúdo usado e perceba que ele é de grande valia para uma formação mais completa e consistente. Além do material didático, existe também o acervo da biblioteca.

São materiais complementares à formação do aluno e que fazem toda a diferença para um bom conhecimento da profissão e atuação no mercado de trabalho.


Solicite um contato e fale com um especialista da Somos Ensino Técnico agora mesmo.


A legislação da educação técnica pode mudar

Por último, mas não menos importante, falaremos da legislação relacionada a educação técnica. Em algumas cidades e estados o processo para credenciamento de escolas ou cursos técnicos pode levar até dois anos. Tanto para cursos na modalidade presencial quanto a distância.

Com a proposta de Reforma do Ensino Médio, a legislação pode ser alterada e não temos certeza sobre o processo que pode ser definido para o credenciamento de escolas e cursos técnicos.

Por isso, se você pensa em investir em educação técnica, esse é o melhor momento para fazer isso. O ideal é aproveitar a legislação vigente e credenciar a escola e o maior número possível de cursos.

Então, comece agora mesmo o processo de credenciamento da sua escola e de seus cursos técnicos. E se precisar de ajuda, conte com o apoio dos especialistas da Somos Ensino Técnico.


Quer saber como usar a tecnologia a seu favor na sala de aula? Baixe agora o eBook Professor 3.0 – O Educador na Era Digital.