Formação continuada de professores: dicas para implementar na sua escola

A formação continuada de professores é um dos principais desafios sentidos por gestores de escolas. Trata-se de um processo bastante complexo, que envolve inúmeros fatores, mas que nem por isso deixa de ser importante ou parte essencial da estratégia das instituições de ensino – principalmente quando pensamos nelas como empresas, que se preocupam com o fluxo de caixa, captação e retenção de alunos, entre outras coisas.

E é responsabilidade do gestor incentivar e garantir que seu corpo docente está sempre buscando dar aquele upgrade no currículo. Se atualizar e trazer novas maneiras de abordar as disciplinas que ministra aos alunos são tarefas que devem ser esperadas – e exigidas – dos professores.

Até porque esta também é uma forma bastante eficiente de garantir que a qualidade do ensino na escola estará sempre nos mais altos patamares.

Mas a pergunta que não quer calar é: como fazer com que os professores e professoras se engajem na tal da formação continuada? Abaixo, nós separamos algumas dicas que podem te ajudar a superar esse desafio. Confira!

O que é formação continuada?

Como o próprio nome pode sugerir, a formação continuada de professores é um nome mais bonito para uma atividade que faz parte – ou ao menos deveria – do dia a dia de profissionais dos mais diversos segmentos.

É o que se espera, por exemplo, de médicos, marqueteiros e, é claro, também de professores. Todos precisam se atualizar com os temas mais recentes de suas respectivas áreas de atuação, e numa sociedade que se transforma rapidamente como a nossa, essa atualização deve ser constante. Se não, corremos o risco de sermos ultrapassados por profissionais que têm esse compromisso consigo mesmos.

E como se atualizar? Ler novos autores, ficar de olho em estudos recentes, assinar newsletters de revistas ou blogs relacionados à área e conhecer novas teorias, ferramentas e abordagens são alguns bons exemplos.

Como diz o velho dito, “conhecimento não ocupa espaço”.

Como implementar na escola e com os seus professores?

Existem algumas técnicas que recomendamos e que podem ajudar na hora de implementar o processo de formação continuada em sua escola. Veja:

1.  Use argumentos que convencem

Ao abordar o assunto, não diga apenas que todo bom profissional deve estar sempre atualizado. É muito provável que o professor já saiba disso, mas ainda não desenvolveu esse processo ou ainda não o tornou um hábito. Mas nada que um empurrãozinho não resolva.

Você pode argumentar que os novos aprendizados muitas vezes ajudam a amenizar falhas da graduação, por exemplo. Praticamente todo profissional já formado diz que sentiu falta de alguma disciplina durante o curso, então aproveite o ensejo para mostrar que essa é a oportunidade para preencher este gargalo.

2.  Convide os professores a compartilharem suas experiências

Certamente há professores em seu corpo docente que já deram início ou têm mais possibilidades de começar espontaneamente o processo de formação continuada. Identifique quem são esses profissionais, mapeie as boas práticas adotadas por ele e convide-os a compartilhar suas experiências com o restante da equipe!

Esta é uma forma bastante convincente de mostrar aos professores que o processo faz parte do dia a dia do docente, e que ele só trará benefícios a todos.

3.  Organize palestras, cursos in house ou workshops

Separe alguns dias do calendário – que não interfiram em outras atividades essenciais ao exercício da profissão por parte dos professores – para organizar palestras, cursos ou workshops que sejam essenciais à formação continuada de cada um.

Aqui, não cabe trazer pessoas para fazer sobre áreas que sejam específicas de uma ou outra disciplina, mas sim alguém que seja referência em gestão de tempo, por exemplo. Que tal ensinar ao corpo docente como encaixar mais essa atividade no dia a dia por meio de uma melhor organização do próprio tempo?