Passo a passo para aplicar uma boa gestão em sua escola

Mesmo com uma finalidade totalmente pedagógica e social, a escola também precisa de uma administração correta para funcionar de maneira adequada. Nesse sentido, utilizar os recursos disponíveis de maneira eficiente é essencial para otimizar o desempenho da instituição. Tomemos como bom desempenho a possibilidade de os alunos extraírem grande parcela do potencial de ensino da escola.

Para isso, recomenda-se uma gestão escolar na prática, pensando sempre no aprendizado e na formação de pessoas. A execução, porém, precisa ser muitíssimo bem pensada, além de ser indispensável considerar as necessidades de todos os possíveis envolvidos. Isso porque, além dos alunos, a gestão escolar também influencia diretamente no trabalho de professores e orientadores pedagógicos, entre outros profissionais.

Ressaltamos que não há uma fórmula exata para aplicar uma gestão correta de escolas, mas o passo a passo apresentado a seguir pode servir como referência para quem deseja aplicar o método na instituição de ensino onde trabalho.

Confira o caminho que sugerimos — com seis etapas — que podem contribuir para otimizar os recursos da sua escola e ajudá-lo a fazer uma gestão escolar nota 10!

1º passo: trace um bom planejamento

Não é errado dizer que um bom planejamento é fundamental para fazer qualquer projeto acontecer. Ao implementar um novo tipo de gestão escolar não é diferente: entender o contexto em que a instituição se encontra, aonde ela quer chegar e quais os meios e recursos para atingir seus objetivos é importantíssimo.

Todos esses fatores fazem parte do planejamento de uma escola, pois todos eles ajudam a instituição a atingir o objetivo previamente definido. Na parte de finanças, por exemplo, é importante ter à mão os números da instituição para evitar, sob qualquer circunstância, gastar mais do que se ganha.

Reformas estruturais como a melhoria das salas de aula para se adequar às necessidades dos alunos também são recorrentes, mas, para que sejam realizadas, é necessário ter uma boa aplicação dos recursos disponíveis.

2º passo: entenda o ciclo do aluno dentro de uma escola

Aplicar gestão na escola vai além de saber gerenciar o negócio em si – no caso, o ensino como um todo. O gestor precisa sempre estar atento ao cotidiano dos protagonistas de sua instituição: os alunos. Entender como os estudantes utilizam o espaço disponível é essencial para planejar qualquer reforma ou implementação de novos equipamentos.

Por exemplo: saber que há uma alta demanda para a utilização dos computadores da sala de informática, e entender que há poucas máquinas disponíveis, é o primeiro passo para melhorar a estrutura em questão. Sem as informações do dia a dia dos estudantes, a tendência é que recursos sejam aplicados de forma menos eficiente do que o potencial.

3º passo: estabeleça uma boa comunicação com os professores

Seguindo a mesma linha do segundo passo, ter um bom relacionamento com os colaboradores da instituição também é importantíssimo para obter melhores resultados pedagógicos. Assim como os alunos, os profissionais que atuam dentro da escola também têm necessidades em relação à estrutura e a condições de trabalho – e isso, de forma alguma, pode ser ignorado.

Além disso, os professores podem ter uma ótima noção em relação ao desenvolvimento dos alunos – não só do ponto de vista técnico, mas também pessoal. Garantir com que todos os estudantes se sintam bem para aprender é uma tarefa que passa pelo auxílio dos educadores.

4º passo: descentralize a gestão e alie-se à tecnologia

Não há dúvidas de que, além de capacitado, o gestor ou gestora de uma escola precisa participar ativamente do dia a dia da instituição. No entanto, concentrar uma grande quantidade de tarefas, além de sobrecarregar a pessoa responsável, a tendência é que o resultado não atinja as expectativas.

Neste sentido, delegar atividades para outros colaboradores é necessário. Com pessoas bem treinadas e capacitadas, a descentralização trará mais eficiência para a gestão escolar.

Além disso, utilizar recursos tecnológicos não é só interessante, como também é necessário. A tecnologia é muitas vezes mais eficiente do que o papel e a caneta, então, tendo como ela aliada, a tendência é conseguir aumentar a produtividade e economizar tempo precioso.

5º passo: aplique uma gestão democrática junto à comunidade escolar

Em uma gestão descentralizada, uma consequência natural é tornar a relação entre diretor e colaboradores cada vez mais horizontal. Dessa forma, decisões são tomadas em um âmbito coletivo, em que todos podem dar sua opinião e participar do desenvolvimento da instituição.

O diálogo pode ser, inclusive, aberto com o restante da comunidade escolar, desde os professores e funcionários até os próprios alunos e seus familiares.

É importante ressaltar que tal medida está prevista na Constituição Federal de 1988, sendo reforçada pela Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional e pelo Plano Nacional da Educação (PNE). Acredita-se que abrir o diálogo entre os envolvidos seja um ponto importante para atingir uma educação de qualidade na escola — seja o nível educacional que for.

6º passo: mantenha-se atento ao desempenho dos alunos

A partir do momento em que há uma gestão democrática implementada, é necessário estar sempre atento a eventuais mudanças e ao desempenho dos estudantes em sala de aula.

Fazer este acompanhamento acompanhamento faz parte do processo pedagógico, e todos os estudantes precisam ser incluídos para evitar desmotivação e a consequente queda de performance.

Qualquer indício de problema no ambiente escolar, seja ele estrutural ou de relacionamento, é preciso ser reportado para a direção. Além das finanças e da prestação de responsabilidades fiscais, uma gestão escolar na prática precisa saber lidar com seres humanos também.